22 de fev de 2012

Turismo muito além das cidades sede

Sol, mar, dunas. Os atrativos do Rio Grande do Norte que motivaram a escolha dos roteiros turísticos para a Copa do Mundo de 2014 pelo Ministério do Turismo (MTur) não foi muito diferente do que já é explorado densamente no estado potiguar. Foram definidos 88 produtos e 184 destinos em todo o Brasil, que estejam até três horas (via terrestre) ou até duas horas (via aérea) dos palcos do Mundial. Para o secretário estadual de Turismo do RN, Ramzi Elali, faltou diálogo entre o MTur e as secretarias estaduais de Turismo das sedes, uma vez que o RN possui outros segmentos que buscam ser mais bem explorados, como o turismo de aventura ou no destinos no interior do estado.

Em tese, a idéia do Ministério do Turismo com a divulgação dos novos roteiros é de incentivar o visitante a conhecer os atrativos localizados nos entornos das cidades-sede, aumentando o fluxo turístico, bem como a distribuição de renda e emprego pelo país. Coqueiros, dunas e belezas naturais praianas continuamsendo os principais polos turísticos oferecidos pelo Rio Grande do Norte, segundo o MTur, na exploração de 10 municípios costeiros: Tibau do Sul, Canguaretama, Vilar Flor, Baía Formosa, Barra do Cunhaú, Galinhos, Porto do Mangue, Macau, Touros e São Miguel do Gostoso.

"O trabalho que o Ministério do Turismo vinha fazendo possibilitou a escolha desses destinos potiguares. São localidades já bem exploradas pelos turistas nacionais e internacionais, que possuem dados na grade do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) e que já foram exaustivamente apresentados no Salão de Turismo ocorrido em julho de 2011. Considero que as opções do RN foram bem escolhidas e selecionadas", afirmou Ricardo Moesch, diretor de políticas do Ministério do Turismo.

Segundo Moesch, estudos feitos pelo MTur indicam que cada estrangeiro realizará uma média de três viagens pelo Brasil durante o mês da Copa do Mundo e, por isso, os roteiros foram traçados de forma estratégica para intensificar o fluxo de deslocamentos, beneficiando o maior número de municípios. O estudo começou há três meses, quando técnicos do MTur e do Embratur promoveram uma oficina de trabalho para definir a matriz de seleção dos destinos e produtos.

"De maneira geral, nós focamos acima de tudo em quatro maiores segmentos em todo o Brasil: sol e mar, cultura, esportes e o ecoturismo. O Rio Grande do Norte é um polo de grandes atrativos no segmento sol e mar, e já tem um mercado forte nesse setor. Essas foram as razões que motivaram a escolha dos destinos turísticos selecionados para se tornarem roteiros para a Copa de 2014", frisou Ricardo Moesch.

A posição do Rio Grande do Norte não agradou muito o secretário estadual de Turismo, Ramzi Elali, que convocou uma reunião para a próxima terça-feira, dia 31, em Brasília, com representantes do MTur para discutir a seleção dos destinos. "O papel de divulgação de destinos costeiros do Litoral Sul e Litoral Norte, que são do segmento sol e mar, já são bem conhecidos dos turistas nacionais e internacionais. Já separamos investimentos para divulgar esses destinos. A iniciativa do governo do Estado é de aproveitar esse momento da Copa de 2014 para promover a interiorização do turismo potiguar", realçou o titular da Setur.

Interiorização

Segundo Ramzi Elali, o RN já tem muito a oferecer no turismo religioso e gastronômico nas cidades do interior e já existem roteiros consolidados que podem ser incluídos nas listas do Ministério do Turismo. "Temos uma lista de 17 ações para serem financiadas pelo BIRD [Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento], nos quais surgem roteiros no interior do RN que precisam ser analisados e aproveitados", realçou o secretário.

Ramzi Elali fez questão de mencionar os Caminhos da Santa, onde no roteiro está um monumento de devoção religiosa, a imagem gigantesca de 56 metros de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz; o Caminho dos Mártires, em São Gonçalo do Amarante e Macaíba e os Caminhos do Engenho, que reúne engenhos de cachaça e açúcar de Caicó, Goianinha e Extremoz.

"Não temos tempo de criarnovos roteiros, mas acreditamos que esses roteiros interioranos necessitam do acolhimento nas listas de divulgação do Ministério do Turismo e por isso as verbas que serão destinadas para esse fim devem ser aplicadas também na divulgação desses destinos", reforça.

Para esse ano, a verba que o Governo do Estado pretende liberar para que a Setur possa aplicar na divulgação dos destinos gira em torno de R$ 27 milhões. Já o financiamento feito pelo BIRD para obras do executivo estadual somam um montante de US$ 58.211.180, dos quais 11% serão aplicados no turismo potiguar. "O desafio é também integrar as obras de infraestrutura das estradas, urbanização de cidades e melhoramento dos calçadões das orlas do Litoral Sul", colocou.

Entre as 17 ações que aguardam a liberação do financiamento do BIRD para serem realizadas estão a urbanização e instalação de teleférico na imagem de Santa Rita de Cássia e na serra de Martins, readequação da Lagoa de Arituba, saneamento básico e abastecimento de água para Galinhos, bem comoa criação de centros de apoio ao turismo em Arez e em Serra Caiada. A duplicação da estrada que liga Mossoró a Tibau do Sul é investimento mais caro presente entre as 17 ações, cujo valor da obra está avaliado em R$ 35 milhões. O orçamento destinado à Setur é de R$ 85 milhões.

Fonte: Alex Costa, Diário de Natal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.